Jesus teve foco e se entregou

Qual é o foco da sua vida? Qual é o seu alvo?

Jesus foi (e é) perfeito. Não há o que negar. Entretanto, talvez nosso ímpeto de adorá-lO por essa qualidade possa acabar ofuscando o fato de que Ele é, realmente, um exemplo a seguirmos.

Ele não é só nosso Salvador; é nosso maior e principal modelo.

Às vezes, nós nos deparamos com algumas situações desconfortáveis ou até mesmo dolorosas em nossas vidas. Sabendo que “no mundo teríamos aflições”, é claro que Papai preparou uma “receitinha” muito boa para seguirmos nesses casos. Analisemos Hebreus 12:

Portanto, também nós, uma vez que estamos rodeados por tão grande nuvem de testemunhas, livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve, e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta,
tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé. Ele, pela alegria que lhe fora proposta, suportou a cruz, desprezando a vergonha, e assentou-se à direita do trono de Deus.
Pensem bem naquele que suportou tal oposição dos pecadores contra si mesmo, para que vocês não se cansem nem se desanimem.

Hebreus 12:1-3

Que coisa linda é imaginar que Jesus suportou a cruz COM ALEGRIA – e por quê? Porque Ele tinha um FOCO, um ALVO muito maior do que Sua situação naquele momento.

Não estou dizendo que precisamos ignorar as situações dificultosas, mas sim nos alegrar com o futuro, com a glória muito maior que nos espera – e temos o melhor exemplo disso se olharmos para a cruz.

Receba essa alegria em nome de Jesus! 🥰

A Lei da Inércia e a produtividade

Se existe uma coisa na qual eu não sou bem sucedida é em física. Não me entenda mal, eu acho linda a teoria — são os números que não se comportam bem na minha cabeça.

Lembro-me pouco do que estudei na escola, mas uma das afirmativas que ficaram em minha memória é esta:

“Um corpo que está parado (inerte), tende a permanecer parado; um corpo que está em movimento, tende a permanecer em movimento”


Primeira Lei de Newton, a “Lei da Inércia”

Os números ou fórmulas relacionados a essa lei eu simplesmente apaguei da memória (quer dizer, se algum dia eles já estiveram lá, né!). Entretanto, essa afirmativa fala diariamente ao meu coração de uma forma que, certamente, não foi a intenção quando Newton criou a “lei”.

A nossa mente, caída como é, nos prega peças, principalmente quando temos a tendência a procrastinar. Muitos pensamentos como “estou muito cansado”, “não vou conseguir fazer porque é muito difícil” ou simplesmente um “não estou com vontade/não quero” fazem com que deixemos de realizar tarefas importantes, sejam simples ou um pouco mais exigentes (lavar uma louça, fazer algo da faculdade ou do trabalho, etc.).

Se cairmos nessa cilada, é possível que, um pouco depois, nos vemos sem tempo de fazer o que precisávamos, ou até deixamos de fazer completamente aquilo. O resultado é um sentimento de culpa terrível, e pensamentos invasivos sobre como somos pessoas ruins, desorganizadas, irresponsáveis e daí para baixo — e tudo isso só nos faz realizar menos ainda, em vez de nos impulsionar.

Como, então, mudar esse tipo de ciclo? O que tem funcionado bastante comigo é lembrar da primeira lei de Newton e, é claro, não desistir (como já falei neste post). Pense: como é seu estado quando você pensa aquele tipo de coisa que disse acima? Muito provavelmente você está parado (sentado, deitado, apenas parado), pensando em como você está cansado, ou em como aquela tarefa que você precisa fazer é chata/difícil e coisas do tipo.

A solução: movimente-se. Se você ficar parado, vai continuar parado e dará trela para sua mente; se você levantar e se movimentar, seu corpo vai “tender” a estar em movimento e, assim, você vai poder COMEÇAR a TENTAR.

O que muito frequentemente acontece comigo é que, quando chego do trabalho, exausta, quero apenas comer e descansar; entretanto, ainda preciso fazer algumas tarefas, como colocar minha marmita, limpar a areia das gatas, e mais. Se eu simplesmente me sentar, acabou o dia — vou precisar de 10 vezes mais forças para me levantar e fazer o que preciso. Em contrapartida, se já chego do trabalho (isto é, ainda em movimento) e pego essas tarefas para fazer, me livro do que é necessidade e posso descansar sem preocupação.

Simplificando: você está parado, jogado pela casa, e não quer lavar a louça? Solução: LEVANTE E LAVE. Você está parado, pensando em como é difícil aquele trabalho que lhe pediram para fazer (sem sequer começar e atestar que de fato é difícil)? COMECE A FAZER e você vai sentir que o mais difícil é começar — uma vez que você tenta, consegue prosseguir, mesmo que só um pouco (o que já é melhor do que nada).

Lembro bastante da história de Elias em I Reis que, quando estava em “movimento”, realizou muitos feitos e enfrentou Acabe, Jezabel, e todos os que faziam o que Deus reprova. Ao passo que, quando ele se sentiu amendrontado, fugiu para deitar debaixo de uma árvore… porque estava basicamente “cansado daquilo tudo”. Em sua infinita misericórdia, Deus enviou seu anjo para dizer para Elias que, na verdade, ele estava equivocado, pois ele ainda teria uma “viagem muito longa” – ele só precisava levantar e seguir, permanecer em movimento.

É claro que este post não é para alimentar pessoas que não param nunca, e sequer descansam. Descansar é preciso. Entretanto, existem dias em que nós temos coisas a fazer e não colocamos a mão na massa por simples bater preguiça, procrastinação e outros pensamentos sabotadores.

Se você se vê envolvido por esse tipo de pensamento e atitudes inertes, que só prejudicam a sua produtividade, tente lembrar-se sempre da lei da inércia, da história de Elias e tente sempre continuar em movimento pois se você parar, continuará parado e se sentirá mal depois por isso.

Não temos anjo que tente nos acordar debaixo da árvore em que estamos parados, mas temos algo melhor ainda, o Espírito Santo de Deus. Peça a ele forças sempre que você achar que o que tinha em você se esvaiu; Ele te encherá novamente, eu creio! 🙂

Se lhe serviu de alguma ajuda, compartilhe o post, e comente com suas experiências também! 😘

Até mais!

Em 2019, apenas DESISTA

Hoje é o primeiro dia de 2019.

Páre por um instante e olhe para trás, para 2018: quantas vezes você desistiu ou pensou em desistir de algo? Seja em relação à organização/produtividade, ao seu trabalho ou mesmo em relação a sua própria vida?

O que melhorou em sua vida depois que você desistiu ou pensou em desistir? O que piorou? Bateu desânimo? Deus lhe abandonou? Ou talvez você tenha o abandonado e abandonado a si mesmo?

Desistência.

Essa era uma palavra muito, mas muito recorrente na minha vida.
– Eu desistia de uma prova por achar que não iria bem (quando, muita das vezes, eu até iria bem se tentasse);
– desistia porque “eu nunca consegui melhorar meus hábitos e não era daquela vez que eu conseguiria”;
– desistia de me organizar porque eu “nunca fui organizada e nunca conseguia ser”;
– desistia de ler a Bíblia porque nunca tinha entendido e não seria agora que conseguiria entender;
– desistia de orar porque, afinal, eu nunca soube fazer isso;
– desistia de acordar cedo porque eu nunca consegui e nunca conseguiria;
– pensava em desistir de viver, afinal, eu nunca conseguia fazer tudo o que disse antes, então, eu não serviria para nada mesmo;
– desistia de … (coloque aqui a sua afirmação).

O que não está tão bom na sua vida? O que lhe faz/fez desistir? Pessoas ou a falta delas? A falta de si mesmo? Está sobrecarregado(a), não sabe por onde começar e, por isso, vai desistir antes de tentar?

Não vou lhe enganar e dizer que “tudo vai melhorar e nunca mais você terá problemas”. Nem posso fazer isso, já que foi o próprio Jesus que afirmou que teríamos aflições no mundo. Portanto, não há quem não tenha problemas. Se estamos no mundo, passaremos pelas aflições que há nele. Entretanto, foi também Jesus que nos disse para termos “bom ânimo” pois ele “venceu o mundo”.

Bom ânimo para lembrar que ele morreu para que sua misericórdia nos alcançasse TODOS os dias. Bom ânimo para reconhecermos que, cada sentimento de perda e decepção que temos demonstra que estamos ainda vivos para sentí-los e, portanto, temos ainda uma chance de TENTAR DE NOVO e RECOMEÇAR.

Só existem duas circunstâncias em que você NÃO PODE TENTAR DE NOVO: quando você está MORTO ou quando você DESISTIU.

E, mesmo que você pense que prefere não estar mais neste mundo do que enfrentar todos os problemas nele, lembre-se de que, se você ainda está aqui, é porque DEUS CONFIOU EM VOCÊ. Ele sabe que VOCÊ CONSEGUE CONTINUAR.

É claro, sozinho(a) você não conseguiria mesmo. Foi exatamente por isso que Ele deixou seu Espírito Santo, que fala conosco e nos conforta todos os dias — basta você querer dar ouvidos a Ele. E nunca se esqueça de que, quando nos sentimos fracos, é que somos fortes (2 Coríntios 12:10). Em nenhum momento Ele disse que precisaríamos confiar na nossa força (se fosse assim, sucumbiríamos). Precisamos apenas admitir nossa fraqueza e nos apegarmos na força Dele.

O problema não é pensar em desistir. Afinal, o próprio Jesus pediu que o Pai passasse dele o cálice do sofrimento. Entretanto, Jesus entendeu que a vontade do Pai era que ele persistisse, passasse por tudo aquilo para que, então, ressuscitasse em glória. E, pelo amor do Pai, que pudéssemos ressuscitar (ou seja, recomeçar) como Ele (imagine se Jesus tivesse desistido?).

Apenas não desista.

Se você desistir, você vai abrir mão de experimentar as mudanças que Deus quer fazer em você e através de você. Até porque, se você passa por alguma barra e sai dela, isso pode (e deve) ser usado para abençoar outras pessoas e mostrar a elas que, sim, tudo passa. E por mais que você passe mais de uma vez por uma coisa, certamente o processo vale a pena pela mudança em seu interior, em como você reage frente às batalhas (isto é, se você se propor a estar durante todo o processo sendo guiado(a) por Deus, ouvindo usa voz e conforto vindo do Espírito Santo).

Basta não desistir.

Todas as vezes que sua mente lhe acusar, dizendo que nada mudou, fale para ela que você CONTINUARÁ TENTANDO. Sem tentar, você não vai de fato conseguir nada. A desistência é a comprovação de que você não vai conseguir. Mas se você continuar tentando, quando você menos esperar, você vai olhar para trás e perceber o quanto já avançou. Não dê de bandeja ao inimigo a OPORTUNIDADE que você tem, todos os dias, de RECOMEÇAR, de tentar novamente, não importa quantas tentativas você já fez no passado.

Quem desiste, desanima. Quem desanima, desiste. É um loop infinito, uma roda sem fim. Mas se falarmos para nós mesmos que nós NÃO VAMOS DESISTIR, o sentimento de desânimo se transformará em esperança para realizar o que você ainda não conseguiu.

“Por isso não desanimamos. Embora exteriormente estejamos a desgastar-nos, interiormente estamos sendo renovados dia após dia, pois os nossos sofrimentos leves e momentâneos estão produzindo para nós uma glória eterna que pesa mais do que todos eles. Assim, fixamos os olhos, não naquilo que se vê, mas no que não se vê, pois o que se vê é transitório, mas o que não se vê é eterno.”

‭‭2 Coríntios‬ ‭4:16-18‬ ‭NVI‬‬

Como já falei em meu primeiro post, eu só comecei a me interessar por organização/produtividade por não ser organizada/produtiva. Talvez você olhe para exemplos de sucesso (David Allen, Thais Godinho, ou outras pessoas de áreas diversas) e pense que nunca será como eles; se você desistir, realmente não será. Se você perseverar, entretanto, você continuará a mudar aos poucos — assim como deve ser; é o processo natural, pois ninguém muda completamente do dia para a noite. E isso serve não só para a organização, como para todos os aspectos de nossa vida.

Hoje, sempre que me sinto decepcionada comigo mesma, eu conto com o Espírito Santo (e também com algumas técnicas de TCC – terapia cognitivo-comportamental), para dizer para mim mesma que não vou desistir, que continuarei tentando. Não olho para o que não consegui fazer, mas procuro maneiras de tentar novamente. Se antes, quando algo não acontecia como eu queria, eu me sentia culpada e, por consequência, ficava ainda mais desanimada (e virava uma bola de neve deprê), hoje eu tenho um sentimento bom de esperança e sinto como se Deus me desse oportunidade de mudar todos os dias – e já consigo olhar para trás e perceber que mudei bastante, mesmo que sempre tenha o que melhorar.

Se, a princípio, nós ficamos tristes por não ter conseguido nos desempenhar melhor, que essa tristeza produza arrependimento, seguido de desejo por mudança (e esperança), assim como aconteceu com os de Corinto.

“A tristeza segundo Deus não produz remorso, mas sim um arrependimento que leva à salvação, e a tristeza segundo o mundo produz morte. Vejam o que esta tristeza segundo Deus produziu em vocês: que dedicação, que desculpas, que indignação, que temor, que saudade, que preocupação, que desejo de ver a justiça feita! Em tudo vocês se mostraram inocentes a esse respeito.”

2 Coríntios 7:10-11

A vontade de desistir de se organizar ou desistir completamente da vida vêm constantemente. Nessas horas, precisamos olhar para trás e reconhecer as mínimas vitórias e olhar para frente, confiando não em nós mesmos, mas em nosso Senhor, que “nos capacita para toda a boa obra”. A capacitação do Espírito na nossa vida não vem do dia para a noite. É uma sucessão de batalhas e vitórias que nos capacitam.

Desistir é a comprovação de que não confiamos no Deus soberano e maravilhoso que dizemos seguir. Mas Ele mesmo diz que os seus pensamentos são “de paz e não de mal, para LHE dar o fim que DESEJAIS”.

Porque eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais.
Então me invocareis, e ireis, e orareis a mim, e eu vos ouvirei.
E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração.

Jeremias 29:11-13

A vida e o Reino dos Céus não é sobre chegar primeiro, é apenas sobre “chegar”. Aqueles que desistem no caminho são os que nunca experimentarão as bênçãos da transformação e renovação de mente que vem através de Cristo.

E, é claro, persistir, pois “aquele que perseverar até o fim será salvo” (‭‭Mateus‬ ‭24:13‬ ‭NVI‬‬).

“Bem-aventurado o homem que suporta a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam.”

Tiago 1:12


Um ótimo Ano (de fato) Novo para todos nós e que, em 2019, você DESISTA DE DESISTIR.

5 passos para ler a Bíblia diariamente

Antes que de fato comecemos a expor dicas práticas de produtividade no dia a dia (o que, aliás, é possível achar em vários lugares na vasta web), é preciso falar um pouco sobre nossa relação com a Bíblia. Isso porque de nada vai adiantar sermos os cristãos mais organizados e produtivos do mundo sem que estejamos pautando nossas ações na Palavra de Deus, não é mesmo?

Sendo você cristão, acredito que não é preciso explicar a grande importância que existe em sempre estarmos debruçados sobre a Bíblia. Infelizmente, há uma pesquisa muito triste que revela que apenas 20% dos cristãos declarados leem a Bíblia diariamente. A razão desse número ínfimo, eu não sei; porém eu mesma passei por alguns percalços até que, finalmente, conseguisse ler a Bíblia diariamente, e sei que às vezes pode ser difícil por vários motivos. Então, trouxe algumas dicas que me ajudaram e, talvez, possam lhe ajudar também.

1. Você não vai conseguir entender TUDO da Bíblia, mas persista.

Uma das coisas que mais me impedia de ler a Bíblia diariamente era a noção de que eu precisava gastar horas e horas com a preciosa e erudita Palavra de Deus, entender tudo, estudar e fazer anotações acerca dela. Isso tudo serviu apenas como barreira para que eu, de fato, a lesse, pois a tal ideia de que “se não é para fazer direito, é melhor não fazer” diabolicamente sondava minha mente e eu acabava por não ler: “passar apenas 10 minutos lendo a Bíblia? Que medíocre…” — no fim do dia, nem sequer gastava 5 minutos e isso me fazia sentir a pior pessoa do mundo. Até que entendi que não precisava ser assim.

Se você passa pelo mesmo, aqui vai uma dica que funcionou comigo: leia um capítulozinho por dia, sem esperar entender tudo. Não precisa entender grego, não precisa traduzir do hebraico, ou querer desvendar o que está por trás de cada fala de Jesus. Se você nunca leu a Bíblia inteira, lhe recomendo que apenas tente se conectar às histórias apresentadas nela, aos seus personagens.

Que fique claro que não quero descaracterizar aqui a natureza Santa e Viva das Escrituras, o que a difere dos demais livros. O que estou tentando dizer é que colocamos tanta pressão em nós mesmos que acabamos nos distanciando da Palavra, em vez de nos aproximar dela. Com o tempo, o Espirito mesmo vai lhe incomodar para que você se aprofunde, para passar mais tempo lendo, e, finalmente, você vai ansiar por querer entender mais o que está por trás das letras.

Outra dica ótima é assistir aos resumos de cada livro no canal The Bible Project. Sempre que estou para iniciar um livro, eu assisto ao vídeo que fala sobre o livro e, assim, posso entender mais o contexto do que irei ler. Apesar de estarem em inglês, há legendas em português e tem abençoado bastante a minha vida, por ter uma pegada lúdica mas muito aprofundada nas escrituras. Vale à pena dar uma conferida!

Não queira dar um passo maior do que as pernas; se você já está no nível de estudo, Glória a Deus, mas se consegue enxergar que você se cobra demais e acaba não lendo por achar que é algo muito mirabolante para você, se atenha ao mais básico que, mesmo sem tentar analisar cada letra, você vai começar a reconhecer as histórias que você está lendo quando ouvir pregações, vai “esbarrar” naquelas passagens famosas que você tanto ouve (e ver em que contextos elas são ditas) — esse sentimento é maravilhoso. Apenas não desista de tentar (mesmo quando não conseguir, continue tentando), que uma hora o Espírito vai lhe conduzir a coisas maiores. 💕

2. Leia uma versão de mais fácil entendimento

Esta dica corrobora com a primeira: se você estiver preocupado somente (a princípio) em entender a história e personagens, você não vai querer passar metade do tempo procurando palavras do seu próprio idioma no dicionário. Há ótimas traduções da Bíblia, como a NVI e NVT, que são de fácil entendimento e ainda conseguem manter muito bem a intenção das Escrituras em seus idiomas originais. Quando você já a tiver lido por completo varias vezes e o Espirito lhe incomodar, siga para as traduções originais e vá na fé, sempre em busca de crescimento espiritual.

3. Problemas de foco? Ouça e leia ao mesmo tempo

Muitas pessoas (como eu) talvez percam o foco muito facilmente e, por isso, é bem difícil permanecer por um tempo lendo uma coisa só, sem querer pular de uma parte para a outra ou se focar em barulhos externos (ou até internos, pois nossa mente não pára). Para ajudar nesse quesito, eu comecei a OUVIR a Bíblia e lê-la ao mesmo tempo.

De início, me achei a pessoa mais boba da vida, com pensamentos do tipo “você é incapaz de ler a Bíblia? Precisa ouvir? Por favor…”. Novamente, os pensamentos vinham mais para atordoar do que para ajudar. Jogando fora o orgulho de tentar ser como outras pessoas que já estão em um nível maior do que o meu, apenas me joguei na Bíblia em áudio. Se de início eu me vi dependente, depois consegui ir me desprendendo e ainda percebi o quão efetivo foi, até o ponto em que a minha percepção como leitora foi aprimorando, assim como a velocidade de leitura.

Eu ouço sempre pelo aplicativo da YouVersion, “Bible” (ou Bíblia Sagrada), que também pode ser acessado diretamente do site oficial, caso esteja em um computador. O mais interessante é que há a Bíblia em diversos idiomas e você ainda pode comparar versões, o que é maravilhoso, além de poder baixar as versões para acessar de qualquer lugar, offline. Entretanto, você pode encontrar também CDs da Bíblia em áudio e outras opções na internet; seja o que for, tenho certeza que isso vai lhe dar uma ajudinha na hora do foco sempre que estiver lendo a Palavra de Deus.

4. Comece a ler por onde o Espírito te levar e siga com calma;

Por alguns anos depois da minha conversão, fiquei estacionada na leitura Bíblica. Puxava alguns “versículos do dia” aqui e ali, mas nunca de fato parava para ler as histórias nela. Quando buscava mudar meus hábitos, via que alguns aconselhavam iniciar a leitura em Gênesis, outros em Mateus. Mais recentemente ouvi que uma maneira ótima de iniciar é por João, já que o livro faz um paralelo com Gênesis. Entretanto, comigo aconteceu de modo bem diferente.

Depois de bater a cabeça aqui e ali, tentando fazer desafios do tipo “ler a Bíblia inteira em um ano”, o Espírito me levou a deixar de lado desafios (que só me deixavam na pressão e eu me sentia pior por não conseguir seguir) e iniciar minha leitura em Atos. Sim, Atos. Não faço ideia do porquê, talvez porque naquele momento eu estava interessada nos milagres que o povo de Deus conseguia fazer em nome de Jesus, mas o ímpeto de iniciar por esse livro veio e nunca mais eu parei a leitura, graças a Papai.

Com isso, concluo que cada um tem uma história com o Espírito. Se você nunca tentou nada, tente as dicas convencionais ou até Planos de leituras — talvez funcione para você! Porém, converse em oculto com Papai, veja o que Ele lhe leva a fazer; talvez o Espírito lhe conduza a um livro que lhe prenda a atenção e que leve você ao momento exato em que sua fé está. Então essa é minha dica: comece seu hábito de leitura Bíblica orando. ❤

Comecei essa jornada lendo um capítulo por dia e, depois, o Espírito me levou a ler um capítulo do Novo Testamento, e outro do Velho. Sem pressões ou desafios, apenas tenho o objetivo diário de ler dois capítulos. Assim, sigo lendo ambos todos os dias e tem sido uma bênção.

5. Compartilhe e peça ajuda.

Toda e qualquer jornada sempre fica mais interessante quando compartilhamos experiências. Junte-se com alguém que professa a mesma fé que você e, talvez, iniciem a leitura do mesmo livro juntos. Cole com pessoas que você sabe que está em um patamar mais alto que o seu em relação à intimidade com o Espírito e apenas converse sobre a Palavra de Deus… fale sobre o que leu hoje, sobre o que entendeu do que leu… de maneira informal, descontraída e perceba que, a cada dia, você vai se animar ainda mais para entender mais sobre a Bíblia e quererá compartilhá-la com o mundo!

Além disso, se você estiver lendo e não entendeu alguma parte específica (seja em relação à maneira como está escrito, a hábitos da antiguidade e tantas outras coisas), procure a ajuda de alguém que você sabe que tem um conhecimento maior que o seu; talvez teológico, ou mesmo de experiência com Papai. Pedir ajuda significa reconhecer suas fraquezas e demonstrar que você está desejoso de não permanecer na mediocridade.

Conclusão:

A intenção deste post não é que você deixe de estudar a Bíblia e fique só no raso. Muito pelo contrário, a razão pela qual quis escrever sobre isso foi porque já vi e ouvi muitas pessoas (eu estou nesse bolo) dizendo (dando desculpas, para ser sincera) que não lia a Bíblia porque ela era muito “difícil”. Ora, se você começar tentando fazer o mínimo de esforço, certamente Papai lhe ajudará em todo o resto… mais ainda: o Espírito vai acabar lhe incomodando para fazer cada vez mais e estar cada vez mais próximo a Ele. Muita lindeza envolvida. 💕

Me conte abaixo se você também sofre ou já sofreu com isso; compartilhe suas experiências, eu vou amar saber!

Por que um cristão deve se preocupar com produtividade?

Há algum tempo, o Espírito Santo tem me incomodado em relação à maneira com que eu conduzia a minha vida (ou me deixava ser conduzida, melhor dizendo). Não cabe agora discorrer sobre minha história, pois o intuito deste post é ser o mais breve possível para que, enfim, eu possa colocar o blog no ar. Entretanto, é preciso que eu lhes explique porque acho que um cristão (presumo que você o seja) deve se preocupar com produtividade (e, por tabela, organização).

Eu nunca fui alguém organizada, sequer produtiva. Muito pelo contrário, eu era preguiçosa e procrastinadora de primeira (neste último quesito, ainda continuo lutando diariamente). De algum tempo para cá, porém, muitas coisas mudaram em minha vida e, hoje, me vejo empenhada em ser o melhor que posso ser a cada dia (longe da perfeição ou de um nível satisfatório, mas o que conta é a tentativa). Os assuntos “organização” e “produtividade” começaram a fazer parte da minha rotina para, quem sabe assim, a menina preguiçosa lá de trás aprendesse algumas boas práticas com pessoas que já vinham estudando e aplicando as ideias por muitos anos.

Mas de onde surgiu a ideia de fazer um blog específico de produtividade cristã? Surgiu das minhas próprias batalhas internas, dilemas e vitórias que hoje, pela misericórdia de Deus, posso externar para tentar, conforme Sua vontade, instigar o máximo de pessoas possíveis para atentarem-se à produtividade.

Um cristão produtivo se esforça para, todos os dias, se dedicar à leitura da Palavra de Deus, ter tempo para orar a sós, ter uma rotina consolidada em um calendário a fim de que organize seu tempo para visitar todos aqueles que precisam, dar um bom testemunho de organização frente ao mundo caótico em que vivemos (no trabalho, igreja, escola, casa,etc.) e tantos outros aspectos. Reflexões, dicas, desabafos sobre esses temas e muito mais é o que desejamos com este blog, conectando tudo à Palavra de Deus. Talvez você ache que tudo isso seja um ideal longe da sua realidade, mas também era para mim e venho descobrindo que o melhor é tentarmos melhorar do que esperar que as circunstâncias nos levem pela vida, sem qualquer planejamento.

Não sou nenhum tipo de exemplo, mas se o Pai colocou em meu coração a vontade latente de iniciar este blog, espero não só poder compartilhar experiências, como também receber muito de vocês e crescermos juntos. 💕

Me despeço com este pensamento: se nossas cabeças estão tomadas por nossos problemas e preocupações, dificilmente sobrará algum espaço para ouvirmos Deus falando a nós, e para nos preocuparmos em atender a Ele e ao nosso próximo.

Espero vocês nos comentários, nos próximos posts e nas redes sociais: Twitter: @prodcrista Instagram: @produtividadecrista Facebook: /produtividadecrista.

Que a Paz do Senhor Jesus seja com vocês!

#Partiu💕

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora